Artigos •

Rinoplastia

A Rinoplastia é a cirurgia facial mais realizada em todo o mundo. Tem como objectivo um aperfeiçoamento estético, nunca, porém, esquecendo a  vertente funcional. Na verdade, o nariz é uma estrutura única que não pode ser encarada como um elemento estético central da face sem se considerar que estamos perante o primeiro órgão do aparelho respiratório. O cirurgião deve, por isso, dominar a anatomia e os conceitos cirúrgicos do nariz como um todo e não por secções.

Na primeira consulta, um candidato a rinoplastia é sujeito a uma avaliação completa de toda a estrutura nasal, desde a pirâmide exterior e a sua relação com a restante anatomia facial, até ás estruturas endo-nasais, tais como o septo e os cornetos nasais e os seios peri-nasais. Quando é diagnosticada patologia naso-sinusal, esta pode ser corrigida durante o mesmo procedimento cirúrgico.

A análise do resultado desejado é feita em função da globalidade da face, procurando-se um nariz harmonioso inserido no contexto particular do individuo sem estigmas de “nariz operado”.

Como ferramentas de ajuda a essa programação e discussão utiliza-se simulação informatizada e pré e pós operatórios de outros casos similares. São sempre realizadas fotografias antes e depois da cirurgia. A confidencialidade das mesmas é uma garantia dada pelos nossos serviços.

Na consulta pré-operatória é dada especial atenção a esclarecimentos anatómicos globais e individuais e de todo o processo cirúrgico.

A rinoplastia sofreu ao longo das últimas décadas avanços em conceitos e técnicas, assim como a cirurgia facial no geral. Na maior parte dos casos nenhuma cicatriz exterior é utilizada.  Quando é imprescindível a sua realização, ela é colocada na columela (porção central que separa as 2 narinas) onde a visibilidade é diminuída e a cicatrização é favorável. Os hematomas faciais, principalmente peri-oculares, apenas estão presentes quando se efectuam osteotomias (fracturas dos ossos nasais para reposicionamento). No entanto, e apesar da aparente agressividade, a cirurgia é praticamente indolor. O desconforto pós-operatório deve-se sobretudo ao tamponamento nasal (quando necessário) que se mantém por 6 dias. De realçar  que o destamponamento é um momento perfeitamente tranquilo e sem dor já que usamos um tampão personalizado, delicado e plastificado, o que permite um deslizamento atraumático.

A cirurgia é realizada em regime de ambulatório, isto é, ao fim de 4 horas após a cirurgia o paciente terá alta, não sendo necessário, portanto, pernoitar na clínica cirúrgica.

Em complemento a esta informação pode ver a página do Dr. José Carlos Neves e ler outros artigos sobre Cirurgia Plástica Facial.